Um troço qualquer morreu...

“ Pode ver que no meu mundo um troço qualquer morreu.
Num corte lento e profundo entre você e eu” (Cazuza)


E foi assim.
Você
Eu
E o passado cheio de veias e olhos
E foi assim.
Você
Eu
E o passado cheio
de.
E assim
no silêncio em que nos olhávamos
O vento
passava
pelos
nós.

Fabiana B. Farias

Jonathan  – (7 de janeiro de 2010 18:24)  

Ai, q poema lindo, Fabi!!!!
Lindo lindo lindo!!!!

Algo morrer é triste msm, mas se tiver um epitáfio lindo assim valeu a pena ter morrido, srsrsrrssrrsrsr

Postar um comentário

About This Blog

  © Blogger template Shush by Ourblogtemplates.com 2009

Back to TOP